Últimas Notícias

Fique por dentro das novidades que o CEMNAS traz para você

  • 17 jun 2014
    5 dicas para criar um guia de estudos

    5 dicas para criar um guia de estudos

    Um guia de estudos é uma ferramenta usada para reforçar e aumentar a sua compreensão a respeito de informações adquiridas em aula, com o objetivo principal de se preparar para uma avaliação.

    O recurso é comumente utilizado por estudantes prestes a entrar na semana de provas, ou ainda aqueles que vão enfrentar uma maratona de vestibulares ou passar pelo Enem. Mas para que a ajuda seja efetiva é preciso saber como criar esse guia. Confira algumas dicas que podem ajudá-lo:

    1. Pense nos objetivos de construção

    Ao construir um guia de estudos eficaz, tenha em mente os três principais objetivos associados à construção: condensar todos os materiais de estudo em seções manejáveis; identificar, explicar e demonstrar as relações entre ideias e conceitos e criar exemplos práticos que apliquem o material estudado em situações da vida real.


     2. Compile toda a informação que você precisa

    Isso inclui livros, apostilas, notas feitas em sala de aula, tarefas e qualquer outro material de estudo que você tenha usado como referência. Se o seu objetivo com o guia é estudar para as provas de fim de ano, considere incluir também os testes relacionados que você realizou ao longo do ano.


     3. Identifique os principais conceitos a serem incluídos

    Esses conceitos podem ser retirados dos materiais que você já compilou para construir o seu guia. Ou seja, você deve descobrir o que pretende aprender com a ajuda do seu guia de estudos. Por exemplo, se você realiza provas bimestrais, defina como objetivo entender os tópicos que serão cobrados nessas provas.


     4. Escolha um formato

    Leve em consideração o assunto estudado e pense na maneira como o conteúdo pode ser mais bem organizado. Não deixe de considerar pontos como o nível de compreensão e o seu estilo de aprendizagem. Existem muitas maneiras de criar um guia e cada formato favorece seu estudo de uma maneira diferente. Confira alguns:

    1. Mapas conceituais: Esse tipo de guia envolve boxes com a ideia principal conectado a outros boxes de acordo com a relevância e com as principais ideias. Fornece bons exemplos visuais para criar um conceito sólido.

    2. Gráficos de comparação: Por meio de tabelas de comparação você consegue contrastar ideias e conceitos.

    3. Cartões de conceito: Com eles você pode criar um índice de informações. Escrevendo um conceito-chave na frente de cada cartão e, logo em seguida, todos os tópicos que se relacionam a ele, você consegue associar conceitos com os seus significados.

    4. Diagramas: Um diagrama é ideal para representar de maneira visual os processos e procedimentos que ocorrem por meio de uma série de passos definidos. Comece com um conceito principal e a partir dele organize as informações da esquerda para a direita, destacando fatores importantes na ordem que eles acontecem.

    5. Linhas do tempo: Ideais para organizar eventos cronológicos. As linhas do tempo geralmente são utilizadas para temas mais burocráticos, como história ou política.

    6. Testes de amostra: São espécies de testes práticos que incluem questões semelhantes àquelas que serão cobradas na prova.

    5. Conte com a ajuda do material de estudo

    Durante o bimestre, semestre ou mesmo do ano, você recebe uma série de materiais de estudo que não são necessariamente o livro. Crie um guia de estudos utilizando os principais conceitos encontrados nesse material. Dessa maneira você organiza as informações de maneira mais rica, combinando aquilo que foi aprendido em sala com o que você viu em outros lugares mas considera útil.

    Fonte: Universia Brasil

    Escreva o seu também