Últimas Notícias

Fique por dentro das novidades que o CEMNAS traz para você

  • 12 nov 2014
    Mais de 1 mil internos da Fundação Casa estão inscritos para o Enem

    Mais de 1 mil internos da Fundação Casa estão inscritos para o Enem

    Um grupo de 1.080 adolescentes que cumpre medida socioeducativa em 115 unidades da Fundação Casa, em São Paulo, está inscrito para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que será aplicado nas unidades prisionais de todo o país. O número é maior do que o do registrado no ano passado, quando 837 jovens estavam cadastrados. As provas ocorrem nos dias 9 e 10 de dezembro, nos mesmos moldes das que foram aplicadas neste fim de semana. O Inep ainda não informou o número total de detentos e adolescentes infratores participantes.

    No total, 2.492 jovens infratores atendidos pela Fundação cursam o ensino médio, mas nem todos farão o Enem porque ainda não estão nos últimos anos, ou, não têm 18 anos, idade mínima exigida para solicitar a certificação do ensino médio.

    O objetivo de incentivar a participação dos jovens é mostrar a eles novas opções de vida, segundo Neuza Flores, gerente escolar da Fundação Casa. "Nosso intuito é fazer com que eles cheguem à faculdade, além de tirá-los do subemprego. Queremos mostrar que é possível."

    As inscrições para o exame são feitas pelos coordenadores pedagógicos de cada centro, já que os jovens não têm acesso à internet. Os adolescentes que deixam a Fundação antes do dia prova têm de retornar aos centros para fazer o exame. Depois do Enem, os coordenadores acompanham as notas dos alunos e, dependendo do desempenho, os inscrevem para disputar vagas em universidades públicas pelo Sisu, ou, bolsas de estudo, pelo Prouni.

    Se o aluno for aprovado para um curso de graduação ou de ensino técnico, precisa de autorização judicial para frequentar as aulas. Caberá ao juiz decidir se o adolescente irá às aulas acompanhado por um agente, se haverá alteração na medida socioeducativa, ou ainda, se ele irá negar o direito ao interno. Segundo Neuza Flores, um dos critérios que costuma ser levado em conta pela Justiça é o tempo em que o interno já está na Fundação.

    Mesmo modelo e regras
    O Enem dos detentos segue o mesmo modelo e regras do aplicado aos alunos da rede de ensino regular. No primeiro dia, os candidatos terão quatro horas e 30 minutos para responder as questões de ciências humanas e ciências da natureza. No segundo dia, será a vez das provas de linguagens e códigos, matemática e redação com cinco horas e 30 minutos de duração. O exame começa sempre às 13h.

    Atualmente cerca de 10 mil adolescentes estão internados em 149 unidades da Fundação Casa, e a distorção entre idade e série é uma realidade comum entre eles. Segundo dados do mês de setembro, a maior parte dos adolescentes (6.324 alunos) cursa o segundo ciclo do ensino fundamental. No ensino médio estão 2.496 adolescentes infratores, 517 no primeiro ciclo do ensino fundamental e apenas 34 já concluíram o ensino médio.

    A maioria tem idades entre 15 e 17 anos e, nas unidades, eles são obrigados a frequentar as aulas.

    A gerente Neuza Flores diz que hoje é mais comum a Fundação receber adolescentes que estão matriculados na escola, o que não significa, necessariamente, que estejam estudando. "Antes recebíamos meninos que estavam parados, sem estudar, 4, 5, 6 anos. Hoje esse número caiu. Pelo menos o menino se dá ao trabalho de fazer a matrícula, mas cabe a escola oferecer atrativos para mantê-lo."

    Fonte: G1

     

    Escreva o seu também